sexta-feira, 8 de julho de 2011

O Nascimento de Cristo

O Nascimento de Cristo foi retratado por Giotto  (1267-1337) em um afresco na Basílica Superior de Assis. São Francisco, recordemos, fez o primeiro presépio de que se tem notícia. Observe a posição do bode, indiferente ao grande momento, e compare com os versos abaixo e com o conto tradicional em que se baseou o poeta Moreira de Acopiara.

Dizem que quando Jesus
Cristo nasceu em Belém,
Era treva e se fez luz,
E ouviu-se um coro de “amém”.
Os matos estremeceram,
As nuvens leves correram,
Os ventos fortes sopraram,
O sol mais lindo brilhou,
A passarada cantou
E os animais se exaltaram.

O Galo, por sua vez,
Do seu poleiro desceu
E grande alvoroço fez
Cantando: “Cristo Nasceeeeu!”
Como é comum na floresta
Se um bicho se manifesta,
Mais adiante outro responde.
Depois do sinal do galo
Houve na mata um abalo
E a Vaca mugiu: “Aoooonde?”

Mais adiante a Ovelhinha
Alvoroçou-se também
E, na carreira que vinha,
Já foi berrando: “Em Beléééém!”
Mas a Cabra não deu crença,
E, querendo desavença,
Totalmente indiferente
A tudo que acontecia,
Fingiu que nada sabia
E berrou bem forte: “Meeeente!”

Desse momento em diante
Foi a Ovelha abençoada,
E a Cabra, muito arrogante,
Foi logo amaldiçoada.
Hoje, na hora da morte,
A Ovelha se mostra forte,
Morre calada, não berra.
A Cabra, com ar de espanto,
Esperneia e berra tanto
Que estremece em toda a terra.

Nota: No livro Contos folclóricos brasileiros, (Paulus Editora, p. 73), na seção dedicada aos contos religiosos, está a narrativa que inspirou o poema de Moreira de Acopiara. Foi contada por Isaulite Fernandes Farias (Tia Lili), em Igaporã, Bahia. Ouvi-o muitas vezes contado por minha avó Luzia, mãe de Isaulite, explicando a razão do “berreiro” da cabra e do bode no momento do abate. Ela também contava como a galinha foi amaldiçoada por ter ciscado e espalhado a palha do presépio onde o santo Menino nasceu. Por isso, galinha quando entra em casa traz azar. Galinha que canta como galo chama morte. Mas, vamos à história:
"Quando nosso Salvador Jesus Cristo nasceu na lapinha de Belém, ainda era no tempo em que os bichos falavam. Assim, no abençoado momento, o galo cantou:
- Cristo nasceu!
E a vaca perguntou:
- Aooonde?
A ovelha foi quem respondeu:
- Em Belém.
Mas a cabra não lhe deu crença e falou:
- Meeente! Meeente!
Desse dia em diante, a ovelha foi abençoada e a cabra amaldiçoada. É por isso que, mesmo na hora da morte, a ovelha não dá um pio, enquanto a cabra faz uma algazarra danada."

2 comentários:

  1. Adorei esse conto porque me reportou a minha infância, a muito a minha mãe contava essa historia , com uma unica diferença, que o bicho que foi amaldiçoado na historia dela era o pato que teve seu dedos grudados para sempre desde do dia que ele disse
    ao ouvir a ovelha :
    - Espalha ... Espalha ciscando como um louco...
    Assim como dizem que a cobra e feia e se arrasta por demostrar desprezo e dizer :
    Xiiiiiiiiiiiiiii! ( risos)

    ResponderExcluir
  2. Oi, Gislaine. Você apresentou uma variante. O conto funde um tema mais comum às fábulas, o das vozes dos animais, com outro próprio do conto religioso, A Fuga para o Egito, no qual está contido o episódio da Natividade.
    Obrigado pela visita!

    ResponderExcluir